19.2.06

Em uma galáxia muito, muito distante...

Foi na década de 70 que a ufologia começou a flertar com a espiritualidade. Em plena onda new age os alienígenas deixaram de ser vistos como ameaçadores homenzinhos verdes e começaram a ser retratados como seres iluminados muito preocupados com os problemas da humanidade. Sempre que podiam os extraterrestres tentavam nos alertar sobre nossos problemas mais preementes como a corrida armamentista ou a destruição das florestas. Teriam sido realmente úteis se tivessem nos avisado naquela época sobre a AIDS, o aquecimento global ou o buraco na camada de ozônio...

O cruzamento da espiritualidade com a ufologia gerou diversas seitas estranhas. A mais lembrada será sempre a seita Portal do Céu liderada por uma maluco que conseguiu convencer dezenas de pessoas a ir deste mundo para outro melhor de carona em um cometa, como se a vida fosse uma música do Balão Mágico. Mas no quesito extravagância há certamente espaço para a Igreja da Cientologia, criada pelo escritor de ficção científica mais traduzido em todo o planeta: L. Ron Hubbard, e frequentada por algumas das maiores estrelas de Hollywood como Tom Cruise e Jonh Travolta.

L. Ron Hubbard, circa 1970.Segundo Hubbard, há 75 milhões de anos atrás um ditador alienígena chamado Xenu, que faria o Dart Vader parecer uma criança fantasiada para o Halloween, decidiu resolver o problema da superpopulação de seu planeta dopando bilhões de habitantes com uma mistura de alcóol e glicol, sequestrando-os e transportando-os em naves muito parecidas com aviões comerciais DC-8s até o planeta Teegeeack, conhecido por nós como Terra. Aqui chegando, os 13.5 bilhões de excluídos foram amontoados ao redor de vulcões e bombardeados com bombas de hidrogênio. Os corpos físicos dos extraterrestres foram destruídos, mas não suas almas, agora chamadas de Tethans, que foram coletadas por uma espécie de aspirador galáctico de almas e levadas para um colossal cinema, onde foram forçadas a assistir durante 36 dias a um filme tridimensional que lhes implantou falsas memórias à respeito de Deus, Jesus e o Diabo.

As pobres almas penadas, desencarnadas, e agora desmemoriadas, passaram então a vagar pela Terra reunindo-se em grupos de milhares e encarnando coletivamente aqui e acolá nos poucos corpos sobreviventes às explosões. Estes encostos grupais, conhecidos por Tethans corporais, estão por aí até hoje e, segundo os cientologistas, são os grandes responsáveis pelos problemas do homem moderno assim como por boa parte de nossas lembranças: Hubbard diz que nossos cinemas na verdade foram inconscientemente construídos à imagem e semelhança das salas de projeção utilizadas por Xenu na lavagem cerebral dos Tethans (é preciso reconhecer que poucas religiões têm respostas para questões tão específicas quanto a arquitetura das salas de cinema). Quanto a Xenu, os cientologistas acreditam que ele foi eventualmente derrotado pelas forças do bem e jaz aprisionado em uma montanha por um campo de força alimentado por uma bateria que dura para sempre.

Este Antigo Testamento cientológico você não vai encontrar no site oficial da Igreja da Cientologia. Os cientologistas somente têm contato com a história de Xenu quando atingem os mais altos níveis dentro da seita, em uma cerimônia secretíssima que acontece a bordo de um iate. Mas há alguns anos atrás a história vazou para a internet e daí para o Washington Post. A igreja reagiu e processou o jornal, não por falsidade ideológica, mas por violação de copyright, confirmando que a história era verdadeira.

Sempre que confrontados com a história de Xenu os cientologistas argumentam que seus ensinamentos foram tirados de contexto para fazê-los parecer rídiculos. Eu discordo. Se você pensar bem não há nada de especialmente ridículo na história de Xenu e dos Tethans, ou se há, outras religiões não parecem ter percebido. Eu poderia argumentar que a história de um ditador alienígena exterminando seu povo com armas de destruição em massa e submetendo-os à propaganda religiosa não é tão mais improvável que a maioria dos dogmas católicos, como a ascenção da virgem por exemplo. Mas tratando especificamente do cruzamento entre ficção científica e espiritualidade há exemplos tão extravagantes como os de Hubbard que vêm sendo divulgados há muito mais tempo sem um pingo de medo do rídiculo. E eu poderia nunca descobrir isso se, enquanto planejava este post, não tivesse me deparado com a seguinte manchete de capa da revista Universo Espírita deste mês:
Exilados de Capela.
Recentes descobertas científicas e informações mediúnicas comprovam a saga de espíritos banidos para a Terra.
Graças a esta revista descobri que os espíritas também possuem sua própria mitologia criacionista alienígena e que esta é muito mais antiga que a da Cientologia. A saga sci-fi espírita está descrita em livros psicografados por médiuns, sendo o mais famoso deles o do espírito Emmanuel que escreveu em 1932 "O Caminho da Luz - A história da civilização à luz do espiritismo". Basicamente o que diz Emmanuel é que certa vez em uma galáxia muito, muito distante, alguns milhões de espíritos rebeldes foram vítimas de uma "ação de saneamento", ou seja, foram expulsos de seu planeta e exilados na Terra para "prosseguir sua evolução". Emmanuel escreveu:
"Aquelas entidades que se tornaram pertinazes no crime, aqui na Terra longínqua aprenderiam a realizar, na dor e nos trabalhos penosos do seu ambiente, as grandes conquistas do coração e impulsionar, simultaneamente, o progresso dos seus irmãos inferiores"
Se não estou enganado foi mais ou menos o que aconteceu quando Portugal esvaziou suas prisões enviando seus espíritos indesejados para as colônias brasileiras. Aliás deve ser este o motivo antropológico para os brasileiros se identificarem tanto com o espiritismo.

Continuando, Emmanuel nos conta que estes espíritos inconvenientes em seu mundo porém muito mais evoluídos que os primitivos terrestres, encarnaram na população branca do nosso planeta, dando origem a quatro grupos: as castas da Índia, os arianos, os antigos egípcios e os hebreus, estes o povo mais evoluído de todos -- tanto que criaram a primeira religião monoteísta do mundo, explica a revista. Junto com os capelianos vieram a ciência, a religião, a filosofia e as artes, e também suas paixões pela guerra, seu egoísmo e orgulho. Estes espíritos evoluídos, e brancos, deram início a grandes transformações nas civilizações antigas, o que a revista chama de "salto evolutivo que a ciência não explica", e povoaram os continentes perdidos de Atlântida e Lemúria.

Ambas as religiões (embora a cientologia não seja considerada oficialmente uma religião em alguns países e o espiritas reneguem o rótulo na maioria das vezes) buscam o credenciamento da ciência. Mas ambas erram o alvo: a cientologia só consegue ser uma space opera ruim, roteiro imaginário de um filme que seria ainda pior que um dos piores filmes de todos os tempos: justamente "A Reconquista" baseado em um romance de Hubbard e estrelado pelo cientólogo John Travolta. Já o espiritismo procura uma vaguinha na ciência e só encontra lugar na pseudoarqueologia datada dos livros de Erich Von Däniken.

12 Comments:

Blogger HelioPereiriano said...

Já que você gostou tanto da cientologia, aqui vai um site sobre o assunto:
http://xenu.freewinds.cx/pt/index.htm

Especial destaque para cientologia em quadrinhos.

A primeira vez que ouvi falar de L. Ron Hubbard for em 1987, quando me caiu em mãos o seu romance de ficção científica "Campo de Batalha Terra", que em 800 páginas (sim ! isso mesmo !) contava a saga da humanidade em recuperar sua história e sua posição após terem sido dominados pelos psychos.

Devo confessar que achei o romance empolgante (tinha então uns 16 anos ) e muito melhor que a versão truncada e zipada do filme. Sobre o romance alguns fatos curiosos

1- Depois que os humanos reconquistaram a terra e se viram diante de novas ameaças intergaláticas, decidiram que era necessário aprender a tecnologia do transporte espontâneo de hiperespaço, e para tanto deveriam aprender também a misteriosa matemática psycho. Após muito esforço inútil, em vão, o segredo foi finalmente revelado por um prisioneiro: tudo que os humanos deveriam saber é que os psychos, por terem seis dedos numa mão e cinco noutra , usam sua numeração eme base 11, e não em base 10. (ooooohhhh !)

2- Após muitas tentativas e erros para tratar do psychos prisioneiros enfermos vem outra resposta reveladora: tudo fará sentido em se considerar que o tecido psycho não é celular como os humanos mas...virótico !!

3- No duelo de morte entre Jonny Goodboy Tyler e seu Pycho arquinimigo, o heroi lança um golpe terrivel e fatal quando o vilão estava prestes a escapar para seu planeta natal. O que o heroi usou ? Faca ? Lancha Chamas ? pedra ? Taco de Beisebol ? Não, nada disso. Ele atirou documentos comprometedores que revelam acordos escusos realizados na terra sem conhecimento das autoridades intergaláticas, para serem teletransportados junto com o infeliz.

Apesar disso (ou por causa disso ) o romance foi muito divertido.

12:14 AM  
Blogger widson porto reis said...

É... não me parece uma obra de arte mesmo. Bom link! Valeu

11:23 AM  
Blogger Alexandre Heredia said...

Nada tira da minha cabeça que a Cientologia não passa de uma piada cujo criador morreu antes do repique do prato do baterista.

L. Ron Hubbard era uma figuraça. É só ler seus livros para perceber que ele não era sério (Recomendo a decalogia Missão: Terra, que conta uma suposta invasão alienígena na narrativa hilária de um dos vilões).

Agora esse lance dos Exilados da Capela eu já tinha ouvido falar antes. Depois que oficializaram na Inglaterra o culto ao "Jedaísmo" (é, aquele do Yoda e dos sabres de luz), nada mais é impossível.

Se isso for fruto de algum design "inteligente", esse tal criador deve ter um senso de humor doentio.

Abraços,
Alexandre Heredia

9:18 AM  
Anonymous julia said...

Fiquei meio decepcionada por não ter citado o sexy comandante intergalático Ashtar Sheran! http://www.ufogenesis.com.br/materias/materias/comando.htm

Tudo bem, sei que cientologia tá na moda, e blá blá blá. Mas desse jeito você não vai estar entre os escolhidos para passar pros planos superiores! Hunf!

12:24 PM  
Anonymous Anônimo said...

"Mude o seu DNA, mude a sua vida!"

Pesquisem essa frase no Google e vomitem.

11:44 PM  
Anonymous Anônimo said...

Gostei tanto do seu blog que o linkei no meu... bloguici.wordpress.com

abraços
Norberto Kawakami

9:43 AM  
Anonymous christina castilho said...

Widson, se vc já se admirou com a mitologia espirita de Emmanuel, nao sabe o que está perdendo com os 7 volumes da saga dos Capelinos... livros de Albert Paul Dahoui. Sinopse: Desvende a exata localização de Atlântida, do jardim do Éden e conheça seus habitantes. Saiba todos os detalhes da expulsão da raça adâmica do paraíso. Conheça a história do arcanjo Gabriel, dos motivos que levaram os anjos a serem expulsos dos céus. Descubra tudo sobre os estranhos capelinos e de como influenciaram a implantação da civilização na Terra, através de Nimrud, o primeiro homem a se tornar rei no nosso planeta...
preciso comentar???

9:58 PM  
Anonymous Anônimo said...

A saga dos capelinos é uma série de ficção e como tal o autor tem a liberdade de criar o que desejar. Não se deve confundir, portanto, com uma tese. É apenas divertimento ou será que não é?

9:58 PM  
Blogger widson porto reis said...

A história dos exilados de Capela é discordante entre os espíritas, mas a obra não é de ficção; assume-se que foi psicografada por um espírito chamado Emanuel. Outras variantes dessa cosmogênese espírita estão presentes em outras obras.

11:43 PM  
Anonymous Anônimo said...

até queria comentar se não fosse pela colocação sobre erich von daniken o cara é meu héroi

5:45 PM  
Anonymous Anônimo said...

voce é um imbecil, não se deu o trabalho de pesquisador direito o nome do livro de Emmanuel, não é o caminho da luz e sim " A CAMINHO DA LUZ", babaca.

3:29 PM  
Blogger Widson Porto Reis said...

Quer dizer que no post todo você encontrou, literalmente, 1 letra errada!?

Valeu!
Widson

12:31 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

free webpage hit counter