1.2.06

Fenômenos Tímidos

Gosto muito de um filme chamado "Mystery Men", ("Heróis muito Loucos", em português). É sobre um grupo de super heróis de segunda categoria que tem que salvar o mundo quando o super boa pinta Capitão Estupendo cai nas garras de seu arqui-inimigo, Casanova Frankenstein. O grupo é composto pelo Sr. Furioso, que tem o poder de ficar muito, muito bravo; o Rajah Azul, um mestre na arte de atirar garfos; o Escavador, bem... um exímio escavador -- "Deus me deu um talento, eu cavo muito bem"; o "terrivelmente misterioso" Sphinx, guru da equipe, que só fala por chavões que poderiam muito bem ter sido tirados dos livros de Paulo Coelho ("Aquele que questiona o treinamento somente treina a si mesmo em questionar"); o escatológico Baço, capaz de abater seus inimigos com sua super fedorenta flatulência (lembre-se de que esta é uma comédia americana); a Jogadora de Boliche, cuja arma é uma bola de boliche encrustada com o crânio de seu pai; e finalmente o meu favorito: o Garoto Invísivel, que tem o espetacular poder de ficar invisível, mas só quando ninguém está olhando.

O Garoto Invísivel é formidável. Imagine se você pudesse ficar invisível quando quisesse bastando para isso usar a força do seu pensamento. Mas com uma condição: no momento em que alguém olhasse em sua direção você se tornaria imediatamente visível de novo. Lá se vão suas chances de lutar contra o crime e espiar os vestiários femininos. Há poucas chances também de que você consiga convencer a humanidade, pelo menos os mais chatos, digo, céticos, como eu, de que realmente possui algum poder extraordinário.

É incrível mas há muitas pessoas entre nós dotadas de habilidades quase tão extraordinárias quanto as do Garoto Invisível, mas incapazes de prová-las ao mundo. Enquanto lutam por reconhecimento, estes incompreendidos super seres aproveitam para ganhar algum dinheiro escrevendo livros e realizando palestras motivacionais para pessoas que simplesmente aceitam sua palavra sobre seus dons supernaturais. Um destes super coitados é o famoso paranormal húngaro/ austríaco/ israelense Uri Gelller.

Uri Geller fez carreira nos anos 70 e 80 entortando colheres em shows de televisão, supostamente usando apenas a força do pensamento. Na verdade Uri Geller tornou-se tão famoso neste ofício que conseguiu transformar o ato de entortar talheres em sua marca registrada. Pois em quem você pensou naquela cena de Matrix, em que Neo visita o Oráculo e toma lições de um garotinho careca enquanto ele dobra uma colher flutuante com a força da mente ("There is no spoon")? Uri Geller lembrou-se dele mesmo, tanto que disponibliza a cena em seu site.

Mas destruir talheres com a força da mente era só a face mais popular dos poderes de Uri Geller. Geller também alegava ser capaz de ler pensamentos, descobrir minerais escondidos (diz ter ganhado uma fortuna trabalhando para mineradoras e companhias de petróleo), influenciar o resultado da loteria (embora não tivesse interesse em ganhar, dizia), apagar fitas magnéticas (mas já lutou com um entrevistador impertinente uma vez pela posse do gravador) e até transmutar metal comum em ouro usando a força do pensamento (não podia garantir que fosse ouro, mas que era um metal amarelo era...).

A única coisa que Geller nunca conseguiu, a despeito de seus poderes, foi convencer a comunidade científica de suas habilidades paranormais. Em 1972 Geller foi testado por um comitê de cientistas e o resultado foi publicado na conceituada revista Nature dois anos depois. O resultado não agradou Geller:
"Eu entortei algumas colheres mas isso não foi bom o bastante para eles (os cientistas). Cientistas querem provas conclusivas sob condições controladas em laboratório. E a resposta é muito simples: quando estou sob pressão eu não consigo usar meus poderes. Mesmo com os fenômenos com os quais estou mais habituado. Se eu estou no palco eu não estou sob pressão e as coisas acontecem. Em outros locais importantes, elas acontecem também. Mas em um laboratório, quando eu gostaria que elas acontecessem, é muito difícil para mim."
O problema de Geller, como o de outros super seres do mundo real, é que seus poderes sofrem do que os céticos chamam de "timidez". Fenômenos tímidos são aqueles que se manifestam esplêndidamente em tendas ciganas, igrejas evangélicas ou num auditório com a Luciana Gimenez, mas quando você tenta documentá-los em um ambiente controlado como o laboratório de um cientista, puf!, desaparecem rápidos como smurfs. Pode ser a conjunção errada dos astros, má vontade das entidades invisíveis, bloqueios de energia, baixo astral, stress, falta de fé... não adianta, quando alguém realmente olha para você com atenção, você não consegue ficar invisível. (Outro super ser com poderes tímidos era o Paulo Coelho, que dizia em entrevistas que podia fazer chover onde e quando quissesse. Da última vez que eu chequei ainda havia gente morrendo de sede no sertão nordestino. Tsc, tsc, "grandes poderes trazem grandes responsabilidades" sr. Coelho).

É o que acontecia vez por outra com Uri Geller. Em meados dos anos 70, Geller foi ao Tonight Show, o mais famoso Talk Show daquela época, apresentado por John Carson. Carson, que já tinha sido mágico e de bobo não tinha nada, selecionou ele mesmo o material que seria usado por Geller em sua demonstração. Ao perceber a manobra Geller ficou visivelmente transtornado e esquivou-se de fazer qualquer demonstração dizendo que não estava num "bom dia" e que se sentia pressionado demais para conseguir usar seus poderes. O programa é antológico e pode ser conferido aqui, e aqui em uma versão mais completa (eu estava disposto a legendar o filme, para torná-lo acessível a mais gente, mas isso acabou se revelando mais difícil do que eu pensava). Aqui está ele, cortesia do google video:



Como todo super humano, Geller tem um arquiinimigo: o mágico profissional e cético, James Randi. Randi não clama ter super poderes como os do Capitão Espantoso, mas também é chamado de "Amazing" por seu trabalho desmascarando charlatães e paranormais de araque (aliás, como fazem bons mágicos desde que Harry Houdini começou a desmascarar espiritualistas no século 19). Por duas décadas Randi esteve nos calcanhares de Geller desmitificando e fazendo troça de cada um dos seus alegados poderes (que considerava no mesmo nível dos truques ensinados nas caixas de cereais). Encurralado, Geller fez o qualquer super ser faz no mundo real: foi aos tribunais. E perdeu. Perdeu cada uma das ações que moveu contra Randi e outros inimigos que diziam que seus poderes era falsos (e também contra a Nintendo por ter criado um personagem de Pokemon inspirado nele). Pagou 20.000 dólares à editora Prometheus, que publicava os livros de Randi, e mais 120.000 ao CSICOP (Comitee for Science Investigation of Claims of Paranormal).

Como demonstram seus fiascos nos tribunais e nos laboratórios, os poderes de Geller, assim como os do Garoto Invisível são tão tímidos quanto inúteis. Afinal se o objetivo é entortar colheres e outros objetos míudos, um pouco da boa e velha força muscular é mais eficiente do que uma incerta força do pensamento que vai e vem conforme a lua. O dia em que Geller começar a ler a mente dos juízes de suas causas, entortar vergalhões de aço ou fizer flutuar um caça X-Wing como o mestre Yoda, então suas habilidades paranormais estarão servindo para alguma coisa. Como super herói, por enquanto, Geller estaria mais para o mágico fora de moda Mandrake do que para o Capitão Espantoso.

8 Comments:

Blogger Lucia Malla said...

Talvez vcs gostem de ler isso:

http://english.chosun.com/w21data/html/news/200601/200601310004.html

Eh sobre a "industria" desses genios timidos aqui na Coreia. Acho q vou largar a ciencia e montar uma tendinha, viu... :-D

2:31 AM  
Anonymous Rechenco Natasha said...

Será que pessoas como o Geller acabam acreditando em suas próprias mentiras? Ou são realmente oportunistas de plantão? Curioso que sou, fui até o site dele e é incrível o que se vê por lá! PUTZ! Eu era garoto na época que ele esteve aqui e digo que acreditei em tudo que ele falava e fazia! Coloquei até relógio quebrado perto da televisão! Culpa da mídia não?

Leio tudo que você posta aqui! Parabéns! Ótimo Blogger.

10:40 AM  
Blogger Fabricio Fleck said...

Ótimo texto. Trouxe nuitas informações que eu ainda não conhecia sobre o charlat...ops...o "paranormal" Uri Geller...:-) Como por exemplo o pagamento que ele teve que fazer à CSICOP...:-)

9:17 PM  
Blogger Chico said...

O poder do personagem é muito bom, serve como comparação pra muita coisa. No filme ele consegue ficar invísivel uma vez pelo menos...

12:30 AM  
Anonymous Tiago Ramos said...

muito bom o post e todos os outros.
acho muito interessantes as coisas que você escreve aqui, mas poxa... o mandrake é tão legal, ele não devia ser comparado ao Geller.
parabéns pelo ótimo trabalho aqui e no ockham também!

5:33 PM  
Anonymous Gabriel said...

Muito interessante a analogia do homem invisível com a metodologia indutiva. Legal...

3:29 PM  
Anonymous SÀBINA said...

Eu realmente acredito no que vi e li. Se não acreditarmos no poder das pessoas e em suas capacidades não vale a pena enfrentar essa caminhada chamada "vida. Sejam - céticos, ok?

10:11 AM  
Blogger FabioGSantos said...

Boa tarde Widson, sobre A CIÊNCIA E O ESPIRITISMO, talvez seja bom para você este link: http://www.ippb.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2661&catid=81

Muita paz.

1:02 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

free webpage hit counter