17.7.05

Uma questão de etiqueta

Como você deve imaginar, eu sou ateu. Ou agnóstico talvez. Confesso que uso as duas palavras indistintamente. Quando me encurralam na parede e me forçam a revelar minhas crenças (ou ausência delas) eu prefiro dizer que sou ateu, tanto para não parecer que estou em cima do muro, quanto para encerrar a conversa mais cedo, escapando da explicação que a palavra "agnóstico" normalmente exige. O fato é que acho a questão irrelevante e normalmente não penso muito a respeito dela. Bem, hoje eu pensei um bocado.

Hoje devo ter recebido o milionésimo email evangélico. Novamente não é um email de um estranho mas de uma pessoa da minha lista de contatos; um conhecido que achou que podia pegar um email religioso qualquer e enviar para todo mundo que ele conhece, inclusive eu.

Pois depois de anos sem saber muito bem o que fazer com emails assim, eu decidi: vou enviar de volta cada email religioso que receber com um educado, mas enfático, pedido para não ser importunado com outros emails sobre este tema. Vou explicar que religião é algo que vem em diferentes sabores e que a escolha por um desses sabores é uma coisa pessoal, que normalmente implica em acreditar que todos os outros sabores são insossos, amargos ou insípidos. Assim, é uma questão de educação e etiqueta não escrever para as pessoas que você mal conhece, enaltecendo as qualidades do sabor que você escolheu e ignorando o fato de que muitas delas fizeram uma escolha diferente.

Só não decidi ainda se vou limitar minha resposta ao cristão remetente, ou se vou espalhar meu gentil protesto a todos os outros destinatários do indesejado email. Tenho a impressão que lá pelo fim do ano vou receber bem poucos votos de Feliz Natal...



PS: Se você nunca ouviu o quadro do grupo inglês Monty Python ao qual se atribui a ligação da marca de carne enlatada SPAM com a chateação dos emails não solicitados clique aqui.

2 Comments:

Anonymous Ivo Mendes said...

Os piores são aqueles que você recebe do estilo: "de uma prova de amor, envie para 1.500 pessoas".... com aquele ppt do inicio da internet...

11:37 AM  
Anonymous Fernando said...

Ótimo post.

A crença em deus é mais um ponto de vista do que uma crença sustentada por evid~encias palpáveis. Deus, por si só, é um ser muito difícil de se encontrar (assim como dragões em garagens na analogia de Sagan). É difícil de se provar falso ou verdadeiro.

Por isso a crença ou não em sua existência é mais um ponto de vista pessoal de cada pessoa.

PS: Comecei o trabalho.

[]'s

Fernando

1:26 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

free webpage hit counter