9.7.05

Morreu Bill Kaysing

Bill Kaysing foi simplesmente o pai do mito de que o Homem nunca foi à Lua. Ele foi "O Cara" que fundou aquela que talvez seja para sempre a mãe de todas as teorias da conspiração. Morreu no final de março - não descobri o dia - mas foi mais ou menos na época em que foi ao ar o artigo no Projeto Ockham sobre o mito - mais um dos inúmeros artigos (mas um dos únicos em português) que tentam remediar o estrago que Kaysing causou.

Quando uma pessoa morre a gente se sente compelido a rever nossas opiniões mais duras sobre ela. Sobre Bill Kaysing talvez a única coisa positiva que um estranho pudesse dizer com justiça em seu epitáfio é que ele defendeu suas posições até o fim por acreditar sinceramente nelas. Quer dizer, o cara era só um honesto maluco. Não é muito, eu concordo, nem serve de atenuante para o incrível deserviço que ele prestou, mas bem... é mais do que do que se poderá dizer de muitos dos seus seguidores que aí estão, calculadamente faturando com o mito.

E quem sabe? talvez o imenso esforço que os cientistas têm realizado para conter o mito que Kaysing fundou tenha servido para levar um pouco de física, astronomia e bom senso, às pessoas.

16 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Estudo na UnB, faco mestrado e conheco alunos do doutorado que nao acreditam que o homem foi a Lua.

5:58 PM  
Anonymous Anônimo said...

Doutorado de comunicação? Tem uma febre de conspiracionistas nesta área...

9:57 AM  
Blogger Marcelo said...

Acompanho seu blog e o considero não apenas interessante, mas essencial. Acho apenas que seu posicionamento quanto ao ceticismo do Kaysing é um tanto contraditório. Afinal, a liberdade de questionar é importante, e semear o ceticismo (mesmo que por linhas tortas) é essencial, ao contrário de "aceitar", mesmo que o acontecimento em questão possua algum respaldo técnico-científico. Afinal, artigos com dados forjados e descobertas fraudulentas já não são tão incomuns em nossos dias, não é verdade? Sim, eu "acredito" que o homem foi à lua. Mas respeito os que, de boa índole, procuram encontrar evidências mais concretas do que um programa de televisão.

3:47 PM  
Blogger widson porto reis said...

Marcelo,

Geralmente usamos a palavra "ceticismo" como um sinônimo vulgar para "dúvida", mas como movimento o ceticismo científico é bem mais do que isso; é uma maneira de duvidar de forma mais responsável e principalmente mais técnica do que Kaysing fazia. Como exemplo cito o moderno ceticismo quanto ao aquecimento global.

Explorar a credulidade alheia, espalhar desinformação científica, desacreditar instituições governamentais acusando-as de crimes, baseado apenas em dúvidas infantis, não é ceticismo, e sim teimosia...


Valeu
Widson

6:17 PM  
Blogger Marcelo said...

Bom, pra você não pensar que eu quis desacreditar o método científico, eu sou físico (claro que isso não diz muito, eu sei), e além disso agnóstico roxo. Não conheço os argumentos do Kaysing, mas imagino que ele tenha semeado uma descrença vulgar, sem qualquer objetividade concreta. Não discordo da sua interpretação, até porquê nem tenho conhecimento suficiente do caso. O
que eu quis questionar, na verdade, foi a imagem que você passou quando escreveu palavras aparentemente carregadas de emoção sobre a descrença do indivíduo. Ao ler seu post, um leigo poderia concluir que acreditar na ciência ou nos falsos intelectuais é uma questão de opinião, como escolher o time de futebol. Sabes que, quando nos expressamos como "eles", somos frequentemente comparados e muito convenientemente desacreditados. Por isso evoquei sua resposta esclarecedora, que foi satisfatória. ;-). Now, the bad news: http://www.rcgg.ufrgs.br/extensao1.htm

Nota o site onde está hospedado. Pois é, acho que estamos perdendo essa batalha. Mas bola pra frente e novamente parabéns pelo blog.

4:50 PM  
Anonymous Anônimo said...

Li o texto e os 5 comentários. Parece-me que ninguém aqui conhece os argumentos técnicos de Kaysing. Estranho que estejam opinando sobre o que não conhecem. Não sou seguidor do velho Kaysing, mas ele dizia coisas interessantes, tal como: 'examine você mesmo as fotos, os filmes, as provas técnicaas, enfim o material publicado, use sua inteligência e tire suas próprias conclusões. não precisa e nem deve simplesmente acreditar em mim.' Então vejamos alguns fatos públicos inegáveis:
1. Na época, fizeram várias expedições à Lua e todas foram bem sucedidas, sem imprevistos ou acidentes graves. Os acidentes graves só aconteceram aqui na Terra;
2. Depois disso já se passaram quase 40 anos sem mais nenhuma viagem à Lua. Por quê?!
3. Os filmes originais, um importantíssimo tesouro da humanidade, e uma das provas mais concretas que foram à Lua, DESAPARECERAM, ninguém sabe onde foram parar as 500 ou 700 fitas...
4. As fotos sem estrelas no fundo podem ser justificadas pelo pouco tempo de exposição do filme. Por outro lado, a NASA teria tecnologia suficiente e interesse em fazer fotos exclusivamente das estrelas, provendo a exposição necessária, partindo daquela posição privilegiada e sem o filtro da atmosfera. Porque não o fez? Ir até a Lua e filmar ou fotografar somente aquelas cenas que mais parecem um programa de entretenimento seria o mesmo que, nas palavras de Kaysing, ir até Niagara Falls e falar sobre o hamburger que serviram na lanchonete ao lado.
Há muitos outros argumentos. Mas a questão maior é se alguém quer examinar mais a fundo e pensar como um verdadeiro cientista, analisar com imparcialidade os argumentos técnicos pró e contra, ou se quer escolher em quem acreditar e simplesmente assumir um dos lados como um dogma, como uma bondosa velhinha, ou a Velhinha de Taubaté de Luís Fermando Veríssimo. A propósito, a Velhinha de Taubaté acreditou no governo americano quando este jurava e provava que o Iraque tinha armas de destruição em massa. Será que ela também vai acreditar quando aquele governo disser que precisa tomar posse da Amazônia para encontrar as armas que o Saddam escondeu lá?! Afinal, pergunto ao Widson Porto Reis, quem está prestando desserviço a quem?!

7:06 PM  
Blogger widson porto reis said...

Não posso responder pelos outros mas eu certamente conheço muito bem os argumentos do Kaysing. São infantis.

Escrevi um texto sobre isso no Projeto Ockham: http://www.projetoockham.org/historia_lua_1.html

7:38 PM  
Anonymous Anônimo said...

Obrigado pela resposta. Li seus argumentos no Projeto Ockham. Mas não encontrei resposta para os 4 itens assinalados acima. Estes 4 itens também são infantis? Pelo que entendi, bastariam 3 minutos de exposição para se ter uma foto das estrelas. Isto não poderia ter sido feito incluindo algum objeto como a nave ou a bandeira? Em curto período de tempo, fizeram tantas viagens e depois, por longo período de tempo, não houve nenhuma viagem?! A tecnologia tão avançada na época das viagens, que só apresentava problemas aqui na Terra, mas nunca no espaço, e depois, muito tempo depois ocorreram "acidentes" com a Challenger e Columbia. Na época das viagens à lua, a tecnologia era mais avançada e nenhum "acidente" acontecia? Por que não mantiveram a tecnologia antiga, se era superior? Pela simples lógica, talvez infantil da minha parte, a tecnologia da NASA regrediu... O Sr. Feynman, prêmio Nobel de Física, "infantilmente" questiona alguns números: "It appears that there are enormous differences of opinion as to the probability of a failure with loss of vehicle and of human life. The estimates range from roughly 1 in 100 to 1 in 100,000. The higher figures come from the working engineers, and the very low figures from management. What are the causes and consequences of this lack of agreement? Since 1 part in 100,000 would imply that one could put a Shuttle up each day for 300 years expecting to lose only one, we could properly ask "What is the cause of management's fantastic faith in the machinery?" [...]They therefore fly in a relatively unsafe condition, with a chance of failure of the order of a percent (it is difficult to be more accurate).
Official management, on the other hand, claims to believe the probability of failure is a thousand times less. One reason for this may be an attempt to assure the government of NASA perfection and success in order to ensure the supply of funds. The other may be that they sincerely believed it to be true, demonstrating an almost incredible lack of communication between themselves and their working engineers.

In any event this has had very unfortunate consequences, the most serious of which is to encourage ordinary citizens to fly in such a dangerous machine, as if it had attained the safety of an ordinary airliner. The astronauts, like test pilots, should know their risks, and we honor them for their courage. Who can doubt that McAuliffe was equally a person of great courage, who was closer to an awareness of the true risk than NASA management would have us believe?

Let us make recommendations to ensure that NASA officials deal in a world of reality in understanding technological weaknesses and imperfections well enough to be actively trying to eliminate them. They must live in reality in comparing the costs and utility of the Shuttle to other methods of entering space. And they must be realistic in making contracts, in estimating costs, and the difficulty of the projects. Only realistic flight schedules should be proposed, schedules that have a reasonable chance of being met. If in this way the government would not support them, then so be it. NASA owes it to the citizens from whom it asks support to be frank, honest, and informative, so that these citizens can make the wisest decisions for the use of their limited resources.

For a successful technology, reality must take precedence over public relations, for nature cannot be fooled." [http://www.fotuva.org/feynman/challenger-appendix.html]

Estaria também o Sr. Feynman sendo infantil e prestando um desserviço à sociedade ou os comentários de dois leitores estariam corretos? " I always thought this was a poor choice of words. "Accident" implies bad luck, where this was more a deliberate failure of engineering." "err, not so much Rothko. That would be Challenger, not Columbia. That being said, the Columbia accident is also a failure of, if not engineering, then certainly bureacracy." [http://ask.metafilter.com/20151/Space-Shuttle-Columbia-Accident]. Afinal, NASA está progredindo ou regredindo?!

10:47 AM  
Blogger widson porto reis said...

Meu amigo, você tem que melhorar muito seus argumentos se quiser ser levado à sério... dizer que a "A tecnologia tão avançada na época das viagens, que só apresentava problemas aqui na Terra, mas nunca no espaço" mostra que você nem ouviu falar da Apolo 13. Nem parece saber que 4 astronautas morreram em terra quando toda o módulo em que estavam explodiu.

Sugestão, assista um documentário (de verdade) sobre a ida do Homem à Lua. Depois volte a falar no assunto.

[]s
Widson

11:04 AM  
Anonymous Anônimo said...

Meu Amigo,
Escrevi um primeiro comentário, colocando 4 argumentos não respondidos nem no projeto Orkham nem na sua resposta.
Escrevi um segundo comentário, citando avaliações de um Prêmio Nobel em Física, Sr. Feynman, as quais também não foram respondidas. Apenas um único detalhe foi respondido e usado para desqualificar todos os demais argumentos: o acidente com o Apollo 13. Este não teve as mesmas proporções que a Challenger ou a Columbia, onde todos os tripulantes morreram. "The Apollo 13 mission has been called “A Successful Failure”, in that the astronauts were successfully brought home despite not landing on the moon." [http://en.wikipedia.org/wiki/Apollo_13] Quando foi que os 4 astronautas morreram? Eu não consegui descobrir. Eu pensava que a gravidade de um "acidente" se medisse pelo número de vítimas fatais. Bom, acho que é outra infantilidade minha. Enfim, como nao respondeu aos argumentos também supostamente infantis do Sr. Feynman, eu termino com as palavras dele e acredito que inversamente, algumas pessoas deveriam pelo menos responder os argumentos colocados ao invés de desqualificá-los com base em um acidente mais antigo e de proporção menor do que os casos bem mais recentes e mais graves da Columbia e da Challenger. E sobre um documentário "de verdade", eu retomo um dos itens não respondidos: onde estão as fitas originais "de verdade" que estão desaparecidas e que podem fornecer as provas incontestáveis da viagem à Lua? Como disse o Sr. Feynman, podem enganar as pessoas mas a natureza não se deixa enganar.
"For a successful technology, reality must take precedence over public relations, for nature cannot be fooled." [http://www.fotuva.org/feynman/challenger-appendix.html] O Sr. Feynman também precisa melhorar seus argumentos se quiser ser levado a sério?!

5:03 PM  
Anonymous Anônimo said...

Oi Widson,

você citou o aquecimento global como exemplo de ceticismo moderno. O quê você quer dizer com isso? Quer dizer que este ceticismo é mais científico do que o Bill Kaysing? Não vou entrar na discussão do Kaysing, mas quanto ao aquecimento global quem responde são as fotos de geleiras derretendo e os dados coletados por inúmeros cientístas no mundo inteiro. Muitos governos não querem admitir os fatos e tentam tampar o sol (ou a lua) com a peneira. Já ouvi falar de muitos cientistas que foram demitidos por apresentar dados favoráveis ao aquecimento. No dia 23.01.08 a TV Cultura de SP apresentou um programa sobre o tema. Veja a sinopse do site da TV Cultura "Aquecimento Global - Bush em clima de medo: O ártico sofre o pior derretimento em milhares de anos. Com isso, o nível dos oceanos pode subir até um metro. Uma parte dos continentes e, vários países, irão desaparecer ocasionando a migração de grandes massas humanas. A maioria das espécies de plantas e animais serão extintas para sempre. Mas o governo Bush questiona até se o aquecimento global existe. Ele é acusado de uma campanha de censura aos cientistas e de alterar ou abafar relatórios sobre o aquecimento global." Então o ceticismo baseado em censurar cientistas, alterar ou abafar relatórios é o moderno ceticismo científico? Será que governos que tentam tampar o sol com a peneira também não tentariam tampar a lua com a peneira? No segundo caso é bem mais fácil...

3:44 PM  
Anonymous Anônimo said...

Assisti recentemente a um documentário no Discovery Channel. Este documentário fala dos planos da NASA para estabelecer uma base na Lua em 2020. Duas questões me chamaram a atenção: a dúvida se existe água na superfície da Lua e o fato que a poeira lunar é perigosa. No primeiro caso, eles ainda estão pesquisando se tem água na forma de gelo na superfície da Lua. Eu pensei que já tivessem feito esta pesquisa até em Marte...!! E por quê não fizeram quando os austronautas estiveram lá tantas vezes? No segundo caso, devido aos perigos da poeira lunar, a base lunar terá uma sala de limpeza, uma câmara isolada na entrada da base. Se esta poeira é tão perigosa, conforme disseram no documentário, de modo que é preciso uma câmara especial de descontaminação, como fizeram os astronautas quando foram à Lua diversas vezes e não tinham esta câmara de descontaminação e, a seguir, fizeram uma longa viagem de retorno à Terra com sua roupa cheia de poeira lunar e sem usar os capacetes dentro da nave?

5:19 PM  
Anonymous Anônimo said...

A "Volta" do Homem à Lua.

Surgem notícias do "retorno" do homem à Lua, como no link abaixo:

http://br.noticias.yahoo.com/s/18062009/40/saude-lancamento-nasa-da-1-passo.html

Nesta notícia, alguns detalhes chamam a atenção:

1. Procurar água na Lua?! Porque tantas viagens tripuladas 4 décadas atrás não procuraram água, se até as sondas enviadas a Marte já estão procurando água naquele planeta tão distante, segundo nos dizem. Então eles procuram água em Marte, mas ainda não procuraram na Lua. Isto não faz sentido!

2. "A principal tarefa do LRO será buscar possíveis pontos de aterrissagem para as naves tripuladas que partirão à Lua a partir das próximas décadas." Então, quando eles aterrisaram 4 décadas atrás, não foi preciso de satélite para procurar pontos de aterrisagem? A pesquisa atual sobre os locais de aterrisagem tem início décadas antes da viagem tripulada. Naquela época, com tecnologia tão inferior que hoje nos parece da idade da pedra, foi tudo tão rápido. Não foi preciso planejar com décadas de antecedência... Isso não faz sentido!

3. As naves tripuladas vão partir nas "próximas décadas". Falar em décadas parece algo tão vago, tão distante no futuro. Parece promessa de político que quer ganhar a eleição com obras a ser realizadas nas "próximas décadas", quando todos já terão esquecido de suas promessas.

4. Se alguém tiver explicações convincentes para as questões acima, por favor, escreva aqui, pois até o momento, tantas contradições da NASA está ofendendo a inteligência das pessoas que pensam, ou a NASA imagina que todos somos burros e aceitamos tantas contradições como fazem os crédulos adoradores da NASA?

11:20 AM  
Anonymous Anônimo said...

Oi Widson,

No dia 25.09.09, foi veiculada uma notícia "sensacional": foi descoberta água na Lua.

Isto causa grande surpresa, afinal houve tantas viagens tripuladas à Lua 40 anos atrás e mais 40 anos de pesquisa e exploração até hoje.

Se não procuraram água, o elemento mais importante para a vida, naquela época, então o que foram fazer lá?????

Eu sempre defendi que o homem foi à Lua, mas cada dia sinto mais dificuldade em manter esta posição. Você poderia me dar um bom argumento para defender esta posição, pois me sinto cada vez mais ridículo e idiota tentando explicar por exemplo, porque não procuraram água quando estiveram lá pessoalmente. Esta notícia apresentada como descoberta inédita insulta a inteligência de pessoas que acreditam na NASA, como eu, e se soma aos argumentos daqueles que acreditam que a viagem à Lua foi apenas uma produção cinematográfica.

Notícia sobre a descoberta de água na Lua:

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI3996408-EI8141,00-Nasa+encontra+gelo+em+Marte+e+na+lua.html

10:45 AM  
Anonymous Anônimo said...

Bom, a questão de só terem procurado água (elemento essencial à sobrevivência) recentemente, sem dúvida demonstra o quanto é falsa essa história de homem na Lua. Inúmeros dados provam que nunca estiveram lá, mas não só isto. Na verdade, mesmo hoje não existe tecno para descerem na Lua. Pq? Ora, se tivessem ido não se limitariam hoje a enviar sondas que nem sequer pousam. Alguém já viu a Nasa divulgar imagens (a cores e de melhor definição) feitas por alguma sonda na Lua? Sinceramente, nunca ouvi falar. Se divulgam imagens (coloridas) da Curiosity, que desceu em Marte, pq não de uma que tenha descido na Lua? Esta história, a meu ver, não passa de uma grande lavagem cerebral, promovida pelo governo americano, do Sr. Nixon, sabidamente velhaco, corrupto, que levou com ele os outros corruptos que estão sempre à espreita para passar a perna nos outros. Aí, com o apoio incondicional da imprensa conluiada no mundo, fizeram este circo que consegue enganar 80% ou mais da população, que nem se dá conta disso, pois sempre foi acostumada ao pão e circo que nos impõem os meios de comunicação, já que o ser humano gosta muito de diversão. Nada contra a diversão, mas ela devia ser consciente, da felicidade compartilhada, e não, pela enganação, pela ilusão. Nós fomos enganados e alguns, seja por ingenuidade ou por má-fé mesmo, insistem em querer justificar o injustificável. Tomem vergonha na cara! Muitos indícios evidenciam que jamais estiveram na Lua, que tudo isto foi feito para manipular o pensamento das pessoas. Questões simples são colocadas, de fácil compreensão. O que não se compreende mesmo é como eram capazes de ir à Lua, num "projeto científico" que não se preocupou com as questões mais elementares da sobrevivência, como a procura por água ali, limitando-se a fazer brincadeiras. Não, meus caros, isto sim é que é desserviço, desinformação, alienação, lavagem cerebral, em nome de quê? da dominação imposta pelos poderosos, donos do dinheiro e das armas, os mesmos que também forjaram os ataques de 11 de setembro/2001, assassinando quase três mil pessoas, a fim de gastarem seus investimentos gigantescos em armas. Acordemos! Não nos deixemos levar por argumentos totalmente desprovidos de consistência, como os deste Sr. Widson Porto Reis, que é muito mal informado ou muito mal intencionado. Enfim, toda essa história não passa de uma imensa lavagem cerebral a que formos submetidos em todo esse tempo (mais de 4 décadas) e continuamos a ser.

9:04 AM  
Blogger Henrique Mendonça said...

A tese de conspiração estadunidense já é fato posto. Haja vista os episódios Pearl Harbor, Baependi (navio brasileiro afundado pelos 'alemães' em 1942) e WTC dentre centenas de outros. Existem fatos fundamentados, perceptíveis externamente e que mostram a fraude, entretanto, o simples não retorno pós-1972 é mais do que suficiente. O resto é bla bla bla. Não se trata de acreditar ou não, nem de teoria....

7:23 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

free webpage hit counter