5.9.06

A estreita linha entre ativismo e fanatismo

Ok, eu sou contra maltratar os animais, sou contra danificar a natureza e tudo o mais. Mas o que eu sou contra mesmo é o nível de fanatismo e falsidade que é atingido por uma parte dos ativistas que militam a favor destas e outras causas nobres (sim, eu sei que a maioria deles tem as melhores intenções, mas bem que eles poderiam canalizar essas intenções contra seus colegas bizarros).

A famosa PETA - People for the Ethical Treatment of Animals, provavelmente a mais famosa entidade americana de defesa dos animais, tem a seguinte campanha em seu site: "Parem com os experimentos cruéis e sem sentido com 'carneiros gays'". Antes de comentar sobre a campanha em si, eis a história completa. Charles Roselli, um biólogo americano, realiza pesquisas sobre o comportamento animal, mais especificamente, sobre o comportamento sexual dos animais. Os carneiros são o alvo de seus estudos porque são a única espécie conhecida, além dos humanos, onde uma parcela dos machos exibe naturalmente um comportamento exclusivamente homossexual. Uma descrição mais completa está no blog The Next Hurrah. Qual o objetivo? Além de entender melhor o fenômeno, que parece ser conseqüência de efeitos hormonais durante a gravidez da "ovelha-mãe", melhorar a seleção dos animais. Afinal de contas, criadores perdem de 300 a 500 dólares com cada carneiro que eles compram e não cumpre seu papel previsto pela mãe natureza... Só que no final da descrição oficial do projeto, os pesquisadores disseram que a pesquisa também poderia ajudar a "entender o desenvolvimento e o controle da motivação sexual e seleção de parceiros nas espécies de mamíferos, inclusive humanos." E provavelmente mencionar humanos foi seu erro. Por quê? Continue lendo....

Eu entendo que muitos achem que obter esse tipo de conhecimento não valha a vida de alguns carneiros (18 por ano, para ser exato). É um número bem pequeno comparado com os quatro milhões que morrem todo ano nos EUA para virar comida, mas eu não criticaria alguém que fosse contra essa pesquisa por achar a pesquisa injustificável eticamente. Seria uma oposição honesta.

Eu entendo que muitos possam achar esse tipo de pesquisa inconveniente, por exemplo aqueles que defendem que o homossexualismo é um desvio de comportamento, uma doença, um pecado, etc. O que eles diriam se ficasse provado que é tudo natural e tem uma causa biológica? Mas o Dr. Roselli não está sendo criticado por grupos americanos de extrema-direita, ou religiosos fundamentalistas, como seria de se esperar. Seria uma oposição menos aceitável para mim, mais ainda compreensível.

Quem está se opondo à pesquisa do Dr. Roselli é a PETA. Por causa da valiosa vida dos 18 carneiros? Não exatamente. Por quê? Ninguém pode explicar melhor (ou de forma mais imbecil e distorcida) que a própria PETA: "estes pesquisadores acreditam que a homossexualidade é um defeito que precisa ser consertado e eles estão cortando e matando carneiros gays para isso. Roselli deixou bem claro que pretende usar os resultados de suas experiências para depois 'curar' humanos."

Muito bem...eu oscilo entre interpretar a propaganda da PETA como má fé e total falta de caráter ou como puro e simples analfabetismo. Eu olho para a frase "entender o desenvolvimento e controle da motivação sexual...", presente na descrição do projeto, e tento aceitar que alguém leia isso e entenda "controle pela sociedade da motivação sexual" em vez de "controle biológico da motivação sexual". Mas aí eu acho que não é possível, seria um caso muito grave de analfabetismo funcional. E além disso, há uma grande distância entre tentar modificar o comportamento sexual de carneiros para procriação e desenvolver uma "cura" contra o homossexualismo em humanos (não lembra o roteiro do X-Men 3?). A sexualidade humana é um tanto mais complexa que a dos carneiros, ainda que as duas se cruzem freqüentemente em piadas de fazendeiros. Não dá... se entenderam errado é porque tinham muita vontade de entender errado.

Não chega a ser um dos casos mais sensacionais de um movimento que já é conhecido pelos métodos "sicilianos" de ativismo de parte de seus membros, incluindo ameaças de morte, incêndios criminosos, etc (mais de 1200 atos criminais desde 1990), mas ainda assim, é irritante.

Mais que irritante é o caso recente das ameaças contra outro professor americano da universidade da Califórnia, que realizava pesquisas com primatas. Realizava, porque resolveu mudar de área depois que ativistas fizeram demonstrações na porta de sua casa, o ameaçaram por email, assustaram seus filhos e, finalmente, colocaram uma bomba incendiária na porta da casa de uma colega do laboratório. Não, pior... erraram de casa e colocaram a bomba na porta de um vizinho idoso. Por sorte a bomba não explodiu....

Mas esse ataque não foi feito pela PETA, e sim pela ALF - Animal Liberation Front, um grupo radical. E radicais existem em qualquer lugar, não quer dizer que a PETA concorde com esse tipo de coisa, não é? Não, a não ser pelo fato de que existem indícios fortes de que a PETA ajuda financeiramente os líderes dos grupos radicais. Além do ALF, outro grupo de estimação da PETA é o ELF - Earth Liberation Front. Exemplos da "nobre" filosofia ativista destes grupos podem ser vistos em um depoimento para o congresso americano do chefe da seção de terrorismo doméstico do FBI. Ou então ouça um porta-voz da PETA, Bruce Friederich, dizendo que "explodir coisas... é uma ótima forma de conseguir a liberdade dos animais".

É claro que o site da PETA ilustra a campanha com uma foto angelical de uma pequena ovelha, do tipo que qualquer criança pediria de presente aos pais. Aliás, provavelmente não muito diferente dos animais abandonados recolhidos pela PETA e jogados no lixo em Nova Iorque, onde uma porta-voz confirmou que a PETA pratica eutanásia nos bichinhos com uma injeção letal ... Nessa ocasião, foram encontrados 31 animais mortos pela PETA, o equivalente a quase dois anos da pesquisa do Dr. Roselli. Mas isso não é nada comparado aos 14.400 animais de estimação mortos pela PETA desde 1998... Ou seja se você for um cãozinho abandonado, torça para ir parar em um laboratório e não nas mãos da PETA, que pelo visto só defende a vida dos animais na mão dos outros. Pelo menos no laboratório você irá contribuir com algo para a sociedade em vez de morrer de graça.

Não dá para evitar uma comparação entre este tipo de ativismo e a religião. É impressionante como idéias originalmente belas e positivas podem ser distorcidas a ponto de se tornar o combustível para atividades horrendas e negativas para a sociedade. E ainda que os fanáticos sejam uma parcela pequena desses grupos, eles acabam sendo a parcela mais visível. O resultado é que sempre que eu vejo um ativista defendendo com muita energia e querendo dar lição de moral sobre os direitos dos animais, ou o meio-ambiente, ou qualquer coisa do tipo, eu fico meio ressabiado - me lembra logo um religioso radical (tão comum hoje em dia...). Afinal de contas, quem fala coisas inteligentes, não precisa gritar para ser ouvido.

13 Comments:

Anonymous Rodrigo Laranjo said...

FUNDAMENTALISMO. É o duro problema que nossos filhos e netos vão enfrentar no futuro.

2:37 AM  
Blogger Delerue said...

Widson escreveu: "se você for um cãozinho abandonado, torça para ir parar em um laboratório e não nas mãos da PETA, que pelo visto só defende a vida dos animais na mão dos outros. Pelo menos no laboratório você irá contribuir com algo para a sociedade em vez de morrer de graça"

Widson, concordo que há muito fanatismo (e, pelo visto, burrice) nesse meio, mas uma coisa temos que concordar: o assunto é bem polêmico. No documentário Earthlings (disponível nos melhores P2P) você vê bem por que grupos como o PETA preferem aplicar eutanásia a deixar os bichos nas mãos de qualquer um. O que se maltrata de animal gratuitamente por aí não tá no gibi. E é tudo muito complicado, porque é evidente pra mim que é melhor matar X macacos e descobrir a cura de uma doença grave do que deixar os macacos vivos e a doença matando os homens. Mas há quem pense diferente, e admito que não é um assunto de fácil discussão. Esse negócio de direitos humanos e direitos dos animais é difícil por definição. Daqui a pouco vão questionar os direitos de personagens virtuais, você vai ver... Imagine a cena: "Ei, por que você tirou a vida do Doom?! Você não tem esse direito, seu insensível!". Afinal, o que faz algo ter algum direito? E por quê?

6:28 PM  
Blogger widson porto reis said...

Widson escreveu: "se você for um cãozinho abandonado, torça para ir parar em um laboratório e não nas mãos da PETA, que pelo visto só defende a vida dos animais na mão dos outros. Pelo menos no laboratório você irá contribuir com algo para a sociedade em vez de morrer de graça"

Bem pessoal, esse post foi escrito pelo Taschetto.

Mas eu também acredito que há dois lados nessa história. O problema é que as táticas do PETA são fanáticas e criminosas e não deveriam justificar os fins.

{}s
Widson

12:30 AM  
Blogger Delerue said...

Ih, eu nem tinha reparado que o post era do Taschetto. Perdão.

1:59 AM  
Anonymous Anônimo said...

É impressionante como idéias originalmente belas e positivas podem ser distorcidas a ponto de se tornar o combustível para atividades horrendas e negativas para a sociedade. E ainda que os fanáticos sejam uma parcela pequena desses grupos, eles acabam sendo a parcela mais visível.

Acho que o trecho acima se aplica ultimamente a política nacional, mas especificamente a militância de determinado Partido político

Adriaan

3:27 PM  
Anonymous Lara said...

'se você for um cãozinho abandonado, torça para ir parar em um laboratório e não nas mãos da PETA, que pelo visto só defende a vida dos animais na mão dos outros. Pelo menos no laboratório você irá contribuir com algo para a sociedade em vez de morrer de graça'

duvido muito que se tu tivesses na mesma situaçao dirias isto! Que criatura perfere morrer lenta e dolorosamente do que ter uma morte instantanea?!
aliás,o cão não tem nada a ver conosco,pra que iria ele querer se sacrificar!? -experiment on yourslefs!-


Long live ALF!

5:03 PM  
Anonymous Monica said...

ALEXANDRE TASCHETTO

Você tem a fonte onde confirmam que a PETA sacrifica animais?

Sou de uma Ong de proteção animal, sem radicalismo mas vejo muita gente endeusar a PETA.

Claro que gostaria que as ações em favor dos animais fossem mais sérias e incisivas, mas também não concordo com terrorismo e violência seja de que lado parta.

Pode me indicar algumas fontes em português onde eu possa ler sobre a Peta mas com transparência? Sem a brasa estar puxada para nenhum lado?

Obrigada ;)

Monica

3:54 PM  
Blogger Alexandre Taschetto said...

Monica,

Não conheço boas fontes em português sobre o assunto e como todo assunto polêmico, acho que vai ser difícil encontrar uma fonte absolutamente imparcial. A melhor fonte que encontrei sobre o assunto é o site http://www.petakillsanimals.com/, que tem uma tabela com o número de animais mortos por ano pela PETA desde 1998, em uma da suas sedes (Norfolk). Para comprovar esses números, eles colocam no site cópias dos registros feitos pela PETA junto à "Vigilância Sanitária" de lá - http://www.petakillsanimals.com/downloads/PetaKillsAnimals.pdf, de forma que os dados parecem confiáveis. O site é mantido por uma organização americana de defesa dos direitos do consumidor. A título de comparação, enquanto a PETA de Norfolk matou 85,9% dos animais que recebeu em 2003, a Sociedade Protetora dos Animais na mesma cidade, no mesmo período, encontrou lares para 73% dos animais que recebeu (informação do mesmo site), o que mostra que as ações da PETA não são exatamente baseadas em compaixão ou pela preocupação em evitar o sofrimento dos animais na mão de qualquer um.

Quanto à idéia de que é melhor morrer rapidamente do que lenta e dolorosamente, é óbvio que a primeira opção é melhor, mas existe também um mito generalizado de qualquer pesquisa científica com animais envolve um sofrimento extremo, o que não é o caso. Como sempre, apenas um lado da história recebe enorme publicidade (o dos ativistas), enquanto muito pouca informação imparcial é divulgada sobre a condução das pesquisas em laboratório. Pessoas inescrupulosas existem em qualquer atividade (como vimos, inclusive na defesa de causas nobres) e o fato de exemplos de maus tratos de animais em laboratório terem sido flagrados e divulgados pelos ativistas de direitos dos animais não significa que todas as pesquisas envolvendo animais envolvem sofrimento extremo. Pesquisas realizadas dentro de laboratório de empresas são menos transparentes, mas toda pesquisa feita atualmente em laboratório de universidades é sujeita a comitês de ética e controle externo, o que não garante uma proteção total contra todo tipo de sofrimento animal, mas é o melhor que se pode fazer para equilibrar o sofrimento dos animais com o sofrimento das pessoas que podem ser beneficiadas com aquela pesquisa.

Tenho certeza que ainda existe muito sofrimento animal que pode ser evitado, mas a atitude de certos ativistas equivale a querer proibir a existência de babás porque toda hora alguém aparece com um video caseiro de uma babá espancando uma criança.

11:38 AM  
Anonymous murilosxe@yahoo.com.br said...

ok... cada um com a sua opinião.
só acho (esse não foi o primeiro texto desse blog que eu notei isso) todas as críticas aqui apresentadas um tanto quanto... ridicularizantes.
se esse era o bojetivo, ótimo! mas se, como aqui se gaba muito disso, a intenção era apresentar as coisas imparcialmente, cientificamente etc etc etc, bom, no meu ver, falhou.
primeiro que eu não acho válida a ridicularização do que não se acredita, do que seriam os maiores cientistas da história? e aqueles que podem ter desistido por uma coisa dessas?
eu concordo que as coisas aqui apresentadas são uma face hipócrita e falsa da PETA.
mas o artigo generaliza, trata de forma superficial e altamente parcial do assunto.
mas eu também acho que isso é assunto perdido... uma vez q o método científico eh a única e exclusiva forma de se enchergar o mundo, e ele vai dar todas as respostas para a humanidade né?
independente do que tivermos que passar por cima, vale a pena.
fiquei um pouco chateado com o tom de piada que foram colocadas algumas coisas aqui, mas fazer o q?
comentar?
gosto desse blog, só acho q é ridicularizante demais para alguém que fala mal dos outros...
cuidado com o teto de vidro científico, é o que eu, na singela posição de leitor posso falar.

12:45 PM  
Anonymous Anônimo said...

Este blog cita um site anti-Peta chamado PetaKillsAnimals, mas ninguém parou para pensar quem suporta este site. Segundo a wikipedia (http://en.wikipedia.org/wiki/Center_for_Consumer_Freedom)

este site é patrocinado por uma tal de CCF (Center for Consumer Freedom) uma entidade sem fins lucrativos que não divulga que são os seus doadores de fundos.

Aparentemente recebe dinheiro da industria de alimentos em geral, da industria de cigarros, etc.

A CCF defende por exemplo que os rótulos de alimentos não precisam indicar a presença de gordura trans, também é contra banir o cigarro (detalhe, recebeu dinheiro da Philip Morris).

Não vou colocar minhas conclusões, acho que os leitores podem tirar as suas próprias.

ps: vou confiar na informação da wikipedia, baseada em uma pesquisa que diz que ela é quase tão precisa quanto a Enclopédia Britânica e também no fato que pessoas a favor e contra podem editar o conteúdo.

A pesquisa que fala sobre a precisão da Wikipedia foi divulgada em uma matéria no site da BBC. Quem quiser confirma procure no site e crie o hábito de verificar a informação que acha na internet.

Um ultimo comentário. Qual o benefício real para a sociedade em se saber que 8% dos carneiros são gays?
Qual é o custo para a sociedade em se dar argumentos para grupos homofóbicos para classificar pessoas como aberração genética?

Qual o custo para a sociedade quando um governo resolve patrocinar uma pesquisa sobre a "Gay Bomb"? (Ver IgNobel da paz de 2007 http://www.improb.com/ig/ig-pastwinners.html)

4:46 PM  
Blogger Lobo da Estepe said...

Não chega a ser um dos casos mais sensacionais de um movimento que já é conhecido pelos métodos "sicilianos" de ativismo de parte de seus membros, incluindo ameaças de morte, incêndios criminosos, etc (mais de 1200 atos criminais desde 1990), mas ainda assim, é irritante.

Concordo que a violência seja algo absolutamente reprovável, e eu equstiono muuito a validade de um movimento libertário que usa métodos violentos. Mas considerar a priori uma determinada atuação como errada por ela ser considerada criminosa é muita ingenuidade. O crime é julgado em relação aos valores vigentes em uma sociedade, que são os mesmos valores que sustentam práticas opressivas como a experimentação animal, e logicamente que impedir que se realize experimentação animal seja contra a lei. Mas a razão dessas atitudes deve ser avaliada do ponto de vista ético, e não legal, senão você está simplesmente condenando algo como errado por ser considerado ilegal pela autoridade estatal, contribuindo para a conservação destas práticas. As leis não são certas ou perfeitas, mesmo no nosso Estado de Direito que supõe-se ser racional.
Julgar como violenta a depredação de propriedade está mais próximo de um pensamento ideológico, no sentido marxista, do que de uma devida análise do fenômeno. As máquinas então são eticamente superiores aos animais de laboratório? Claro que não, e apesar de a sabotagem ser altamente controversa nas discussões de ativistas, defender a propriedade em detrimento da dignidade e da vida é eticamente reprovável. Portanto, criticar os tais grupos 'radicais' por atos criminosos, ou incêndios, sabotagens e depredações não é válido. Ao menos enquanto não machucarem ninguém.
*A ALF destrói propriedade e 'rouba' animais de laboratório, mas a política deles é contrária à violência contra pessoas.

O termo 'radical' foi usado indiscriminadament aqui, e de uma maneira um tanto ideológica e moralista. Como você define um radical? Se existe um radical, quem é o moderado? Por quê? Não poderia ser ao contrário? Moderado é quem está dentro da lei? Ou é o que está de acordo com o pensamento vigente?
Radical é um termo muito contaminado pela ideologia. Recomendo que se use 'extremista', que significa uma posição que utiliza até mesmo de meios extremos para alcançar seus fins. A ALF não usa 'meios extremos'.



"quem fala coisas inteligentes, não precisa gritar para ser ouvido"
Essa crítica coube muito bem. Podia dizer isso para os vivisseccionistas lá na UFRGS.

12:54 AM  
Anonymous Anônimo said...

vou matar essa tal de lara junto com sua familia do modo mais perverso que nem hitler e pinochet ja mais olsaram pensar
death to alf!!!!!

4:55 PM  
Anonymous Anônimo said...

Parabéns aos colaboradores do "Dragão da garagem". Lúcidos, falam sobre temas sem hipocrisia, mentiras e o maldito misticismo.

Um abraço do André

2:18 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

free webpage hit counter